Tratamento Não Medicamentoso em Reumatologia Pediátrica

0
506

Autoria: SBR
06/04/2011

1. O que se entende por tratamento não medicamentoso?

O tratamento medicamentoso é aquele prescrito pelo médico. Já o não medicamentoso é conduzido por outros profissionais, como fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos, nutricionistas, odontologistas, entre outros. Em muitos casos a formação de uma equipe multiprofissional é de grande utilidade e pode minimizar o impacto da doença e do tratamento medicamentoso.

2. Quando este tratamento está indicado?

As diferentes modalidades terapêuticas têm indicações precisas; o seu médico saberá indicar o melhor momento para que cada profissional seja envolvido. As doenças reumáticas podem comprometer várias estruturas, como as articulações, os ossos e os músculos, de maneira precoce. Daí a importância da reabilitação logo nas fases iniciais (primeiros meses). A artrite idiopática juvenil (AIJ) pode causar deformidades, encurtamento de tendões e atrofia muscular, que podem ser irreversíveis se não tratadas logo. O trabalho do fisioterapeuta deve ser paralelo ao tratamento médico, para que os pacientes voltem a exercer suas atividades diárias o mais rápido possível. Outro profissional capaz de reabilitar as crianças com AIJ para que levem uma vida normal é o terapeuta ocupacional.

3. Qual o papel do psicólogo?

As doenças reumáticas mexem com as emoções dos pacientes e dos seus familiares. Nem sempre a aceitação de uma doença crônica é fácil; manifestações como estresse e ansiedade são comuns. Além disto, a dinâmica familiar pode estar comprometida. O psicólogo pode ajudar no para um melhor funcionamento das emoções e dos sentimentos. Não é preciso que haja um distúrbio emocional grave para que o psicólogo atue. Muito pelo contrário: o acompanhamento psicológico preventivo sempre tem bons resultados.

4. E o nutricionista, onde atua?

Distúrbios nutricionais, como a obesidade, e metabólicos, como por exemplo a elevação do colesterol e dos triglicérides, vêm sendo cada mais observados na população de um modo geral.O uso de alguns medicamentos, como os corticosteróides, em doenças como o lúpus eritematoso sistêmico e a dermatomiosite ( entre outras)pode agravar este problema. Os corticosteróides também alteram o metabolismo do cálcio, e podemos observar osteoporose e m muitos pacientes. Uma consulta preventiva com um nutricionista pode ajudar de maneira decisiva na prevenção destes problemas.

5. Qual a importância do assistente social?

O trabalho do assistente social visa garantir os direitos e assistência para a população desamparada, fazendo isso por meio de políticas sociais, de forma organizada e planejada, lutando contra os problemas das injustiças que podem afetar os desamparados socialmente. O estado disponibiliza uma série de benefícios, que muitas vezes são pouco utilizados. Outro papel do assistente social é auxiliar as famílias com dificuldades no acesso aos diferentes serviços médicos e não médicos, bem como auxiliar os pacientes no acesso ao mercado de trabalho.

6. Os pacientes podem se beneficiar dos chamados tratamentos alternativos?

Muitos destes “tratamentos” não estão regulamentados e podem ser nocivos aos pacientes. O tratamento clássico é sempre mais indicado. No entanto, algumas modalidades médicas, como a acupuntura, e não médicas, como a massagem e o relaxamento, por exemplo, podem beneficiar muitos pacientes, quando utilizadas sob orientação médica. Exemplos de tratamentos sem qualquer comprovação científica para o tratamento das doenças reumáticas são o uso de plantas, a cromoterapia, a aromaterapia, a medicina ortomolecular e o uso dos florais.
COMISSÃO DE REUMATOLOGIA PEDIÁTRICA
Última atualização (06/04/2011)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here